De uma missa votiva a São Miguel Arcanjo surgiu o grande santuário

 

Padre Roberto Morais de Medeiros, nascido em Ibaiti, norte do Paraná, decidiu se tornar seminarista aos padre-roberto25 anos de idade, após vários chamados, e foi ordenado sacerdote no ano de 2004.

Conta que em, 2007, estava na cidade que nasceu, quando sentiu dentro de seu interior uma mensagem que dizia para que rezasse uma missa votiva a São Miguel Arcanjo. E para não achar que seria coisa da cabeça, pediu uma confirmação para Deus.
Eu pedi uma confirmação para Deus e na outra semana foi um Padre me visitar, na paróquia onde eu trabalhava. Ele estava conversando comigo e disse assim, do nada na conversa. “Porque você não reza a missa de São Miguel Arcanjo?”, relata.

Segundo padre Roberto, realizando com dois amigos a adoração do Santíssimo Sacramento, na Paróquia Sagrado Coração de Jesus que hoje é o Santuário Eucarístico, ocorreu que um deles durante a oração disse. “Padre, Deus está me dando uma visão, eu vejo o senhor, o senhor vai morar num monte, e nesse monte, a glória do senhor habitará nesse monte Irão pessoas de norte a sul, leste, oeste, beber da graça que Deus estará dando nesse monte E o senhor vai morar lá. Ai eu fechei meus olhos e disse Eis-me aqui senhor faça-se em mim segundo vossa palavra.”

Relata que, passado algum tempo, Dom Fernando José Penteado, na época bispo de Jacarezinho, lhe disse que iria tirá-lo de Ibaiti e levá-lo a Bandeirantes, onde seria erigida uma paróquia, sendo ele o primeiro pároco.

Rezando a missa, o padre ouviu aquela voz novamente, “reza a missa votiva a São Miguel Arcanjo”, e via que era necessário, que Bandeirantes, a região, o Brasil, precisava muito “Reuni o pessoal da Paróquia e falei assim. ‘nós vamos toda quinta-feira rezar missa por cura e libertação pedindo interseção de São Miguel Arcanjo.’ “, declara

Quase um ano depois, em uma missa que iria realizar por cura e libertação de câncer junto com a pregadora Vera Casagrande, ele percebeu que a quantidade de caravanas que viriam à missa não caberia na igreja. O prefeito Celso Silva havia ficado sabendo e concedeu o barracão de sua fábrica de chocolate. Durante a realização da missa, Padre Roberto conta que pediu, durante o ofertório, um barracão igual aquele para rezar as Missas votivas a São Miguel Arcanjo. “Senhor, me dê um barracão desse tamanho ou maior que esse para eu rezar as missas votivas a São Miguel Arcanjo, porque na paróquia não dá mais pela quantidade de pessoas”, conta.

No outro dia, Padre Roberto recebeu duas pessoas, Léo Palla e o dono das terras onde foi construído o Santuário. Segundo o Padre, Léo havia estado na missa e ouvido seu pedido, oferecendo-lhe não um barracão, mas uma igreja, no monte que já havia visto, dando iniciação a toda a construção.
O sacerdote relata que a construção do Santuário é um sonho realizado, mais do que imaginava, porém há outro sonho ainda está se realizando. Acredita que o que chama tantos fiéis ao Santuário é um conjunto, a sua estrutura, a igreja grande, o monte, a celebração, como é ministrado.

“Eu acredito que tudo isso chama a atenção. As pessoas que passam na rodovia veem a igreja e se encantam. Então a igreja chama a atenção. O monte, nossa que lugar alto, vamos subir lá. E a própria celebração, que a celebração é diferenciada das outras, ela é no sentido mais para oração, louvores e canto “, afirma.

Padre Roberto hoje mora no monte onde está construído o Santuário e se tornou uma pessoa muito importante para a comunidade.